terça-feira, 30 de julho de 2019

A Vida de Abraão

Gn 12. l - Ora o Senhor disse a Abraão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.
 "Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu" (Hb 11.8).
Toda amizade com Deus tem o preço da renúncia!
O caminho da bênção é sempre o da obediência incondicional a Deus.
INTRODUÇÃO
A historia do Abraão, um dos maiores personagens da Bíblia, é rica
em maravilhosos exemplos. Sua crescente fé, fez dele o pai de todos os
que crêem, de todos os que andam nas pisadas daquela mesma fé
 (Rm 4.10.11).
Abraão é o único referencial das três religiões monoteísta do mundo:
(adoração de um único Deus)
Ele é venerado pelos Árabes, venerado pelos Judeus e admirado e respeitado pela igreja.
SUA FAMÍLIA E SEU LOCAL DE NASCIMENTO
Abraão era a décima geração de Noé mediante Sem. Nasceu 352 anos após o Dilúvio, em 2018 AC. Embora seja alistado primeiro entre os três filhos de Terá, em Gênesis 11:26,
Abraão foi filho de Terá. e irmão de Naor e Ara. Abraão casou-se com Sarai, e Naor casou- se com Milca.
Morava com Abraão seu sobrinho Ló, filho de Ara. que havia falecido.
A família de Abraão era de Ur dos caldeus, na Mesopotâmia, próximo ao rio Eufrates. Ur era um centro cultural e, também, centro de uma religião pagã que cultuava a Lua.  
A família de Abraão era idólatra . A Bíblia não revela o grau de conhecimento de Deus que Abraão possuía antes de sua chamada.
Mais de 350 anos haviam-se passado desde o Dilúvio, quando Noé, o homem que andava com Deus (Gn 6.9), era o pregoeiro da justiça (2 Pe 2.5). É possível que conhecimento de Deus fosse mantido entre as famílias por meio de tradições transmitidas de pais a filhos. Desse modo. pode ser que Abraão tenha tido conhecimento de Deus e de sua vontade, apesar de viver em uma sociedade idólatra.  

DEUS CHAMA A ABRAÃO
Quando Abraão ainda morava em Ur, o Deus da glória lhe apareceu e lhe deu uma chamada que compreendia três diferentes ordens: **sai da tua terra", "sai da tua parentela, e dirige-te à terra que eu te mostrar" (At 7.2,3).
Abraão sai de Ur com sua família. O relato bíblico sugere que Abraão falou com sua família sobre a ordem que havia recebido de Deus, e esta mostrou- se disposta a ir à mesma terra que Deus prometera mostrar a Abraão. 
Obediência incompleta
Quando Abraão saiu de Ur, seu pai era o patriarca da família. O resultado desta incompleta obediência à ordem de Deus foi negativo. Nenhuma das três ordens de Deus havia sido atendida: Abraão não deixou a sua terra, pois parou em Harã, outra cidade do mesmo país; Abraão não saiu de sua parentela, pois seu pai era o líder da peregrinação; a promessa de que Deus lhe mostraria uma terra não foi aproveitada, uma vez que a direção estava com Terá.
A SEGUNDA CHAMADA DE ABRAÃO
Deus faz a Abraão uma segunda chamada. Diz a Bíblia: "Ora, o Senhor disse a Abraão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei" (Gn 12.1). Desta vez partiu Abraão, como o Senhor lhe tinha dito (Gn 12.4). Saiu sem saber para onde ia (Hb 11.8), mas estava na direção do Senhor.
Abraão chega a Canaã. Chegaram até Siquém, até o carvalho de More Aí Deus manifestou-se a Abraão dizendo: À tua semente darei esta terra (Gn 12.7). E Abraão edificou ali um altar ao Senhor que lhe aparecera (Gn 12.7).
A FÉ NASCE EM ABRAÃO
Abraão, o herói da fé. Quando Abraão mostrou a sua disposição de obedecer a chamada. Deus introduziu em seu coração a fé. A fé é um dom de Deus (Ef 2.8). Ela é uma virtude espiritual.
A fé sem obras é morta, isto é, é sem ação (Tg 2.26). Quando Abraão colocou a sua fé em ação, e estava pronto para deixar a sua terra, a sua fé se tomou viva.
Afirma a Escritura: Pela fé Abraão sendo chamado obedeceu (Hb11.8). Creu Abraão em Deus e isto foi- lhe imputado como justiça (Rm 4.3).

Como se evidenciou a fé em Abraão
Vejamos algumas evidências da fé em Abraão: Abraão sentia necessidade de expressar a sua gratidão a Deus, invocando o seu nome.
Abraão procurava a comunhão com Deus, o qual se manifestava a ele.
Abraão estava na direção de Deus em sua peregrinação pela terra de Canaã, pois: Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus (Rm 8.14). 
Abraão recebeu de Deus a revelação de que estava preparada para ele uma cidade (Hb 11.13-16). 
 ABRAÃO PEREGRINA EM CANAÃ
Vivendo pela fé. Entrando na terra de Canaã Abraão entrou em contato com os habitantes da terra. A terra era a da promessa, mas estava habitada por diferentes povos pagãos, e Abraão permaneceu entre eles como um estrangeiro. Ele habitava na terra da promessa como em terra alheia, morando em cabanas, pois esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus (Hb 11.9,10). Como crentes, somos também peregrinos e forasteiros nesta terra (l Pe 2.11). Não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura (Hb 13.14). 
Os três marcos na vida de Abraão
Três coisas marcaram de a vida de Abraão. Vejamos:
a) A tenda (Gn 12.8). Abraão nunca se prendeu a um lugar da terra de suas peregrinações. Estava sempre em trânsito. Deixando um lugar, ficavam apenas as marcas de seu acampamento. Nós também não somos deste mundo. Estamos no mundo, mas não somos do mundo (Jo 17.16,18). Devemos sempre estar prontos para partir!
b) O altar 12.7.8). Era um marco sempre presente na vida de Abraão, em todos os caminhos de suas peregrinações (Gn 13.4.18. 22.9). Era o local onde Abraão adorava a Deus. Era o lugar onde ofertava sacrifícios a Deus. Ele edificava seus altares em locais visíveis, diante dos povos pagãos que moravam ao seu redor. Que testemunho! Os crentes. que de contínuo vivem diante do altar, dão testemunho de "terem estado com Jesus** (At 4.13).
c) As promessas. Ao longo de sua jornada as promessas de Deus iluminavam seu caminho e fortificavam a sua fé. A mesma bênção acompanha a todos que estão a caminho da Sião celestial. É o que diz o apóstolo Paulo aos crentes em Corinto: "Todas quantas promessas há de Deus, são nele sim, e por ele o Amém. para glória de Deus por nós*' (2 Co 1.20).

FÉ NÃO LIVRA DE PROVAÇÕES
Abraão, na direção de Deus. havia já percorrido uma grande parte da terra para a qual Deus o chamara. Até então não havia surgido qualquer problema, contudo as provações estavam para vir.
A fome, uma grande prova. Uma das maiores provas a que alguém pode ser submetido é a da falta de alimentos, a falta da subsistência. Todavia, para aquele que confia no Senhor, ela toma-se uma oportunidade do crente glorificar a Deus. Veja He 3.17-19. Diz a Bíblia: Abraão, não tinha ainda experiência quanto à maneira de proceder quando as coisas começassem a aparecer contrárias. E a provação veio para o servo de Deus. Abraão possuía um grande rebanho que dependia de bons pastos, e a situação era realmente preocupante. Mas que contradição! Veio a seca e a consequente fome na terra da promessa!
Deus sempre permanece fiel
Desde que iniciara sua caminhada de acordo com a chamada de Deus, Abraão havia experimentado que o Senhor havia em tudo cumprido a sua palavra. Deus havia dito: E eu te mostrarei (Gn 12. l), e assim foi. O percurso de Abraão até aquele momento havia sido o trilho da direção divina. A seca que castigou aquela terra colocou a fé de Abraão em prova. Deus havia dito: E abençoar-te-ei (Gn 12.2).
 Onde estava agora a bênção prometida?
É importante lembrar que Deus nunca prometeu que a nossa vida de fé seria livre de provações. Mas prometeu que seria nosso refúgio e fortaleza e socorro bem presente na angústia (SI 46.1). E ainda: Invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás  (SI 50.15).
Abraão desce ao Egito
A situação de fome que passou a castigar a terra de Canaã colocou Abraão numa verdadeira encruzilhada: continuar a peregrinar na terra para a qual Deus o havia trazido, mas onde havia fome, ou fugir para o Egito à busca de uma solução. E desceu Abraão ao Egito para peregrinar ali (Gn 12.10). E desceu Abraão ao Egito sem a orientação Divina.Pelo menos duas vezes lemos na Bíblia acerca de pessoas que foram orientadas por Deus para irem ao Egito. Jacó, já velho, foi convidado por seu filho José para ir ao Egito.  Deus apareceu a Jacó em visões de noite e disse: "Não temas descer ao Egito, porque eu te farei ali uma grande nação. E descerei contigo ao Egito..." (Gn 46.1- 5).
No Novo Testamento encontramos a orientação dada por Deus a José de fugir para o Egito com Maria e o menino Jesus, a fim de escaparem da perseguição de Herodes (Mt 2.13).
Abraão pagou caro a sua precipitação
Para aquele que deseja andar no caminho da fé, lançar mão de soluções precipitadas para problemas e sofrimentos é sempre perigoso. Abraão pagou caro ter-se precipitado, indo para o Egito sem a direção de Deus. Esperar em Deus é sempre a melhor solução. Deus tem em todas as circunstâncias a solução do mais alto nível.
Devemos, portanto, cuidar a fim de que não nos precipitemos criando saídas humanas para dificuldades que venhamos a enfrentar.

A solução humana para um suposto perigo
Abraão, fora da direção de Deus, enfraqueceu na fé. Quando a fé não estiver operando, o medo facilmente se apoderará do nosso coração. E isso aconteceu com Abraão: foi dominado pelo medo.
Abraão, que entrara no Egito sem a orientação do Senhor. procurou resolver ele próprio o seu problema, sem esperar a ajuda e proteção de Deus. (Gn 11-13) Temendo a perversidade dos homens do Egito, disse a Sara  sua mulher 0ra, bem sei que és mulher formosa à vista; e será que quando os egípcios te virem, dirão: Esta é a sua mulher. E matar-me- ão a mim, e a ti guardarão em vida. Dize, peco-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma por amor de ti. Uma mentira, pois Sara era a sua esposa. 
 
A consequência da mentira de Abraão
O mentiroso sempre colhe os frutos da sua má semeadura.
 (Gn 12.14,15) Abrão no Egito, viram os egípcios a mulher que era mui formosa. E viram-na os príncipes de Faraó, e gabaram-na diante de Faraó; e foi a mulher tomada para casa de Faraó.
Como consequência da mentira de Abraão, Sara, sua querida e fiel esposa, foi levada para a casa de Faraó para ser uma concubina. Que sofrimento para ambos!
Deus teve compaixão de Abraão
Deus em seu grande amor e compaixão não abandonou Abraão, mesmo tendo este enveredado pelo caminho da mentira.
Tendo Faraó tomado Sara para si. Deus o puniu: * * Feriu porém o Senhor a Faraó com grandes pragas, e a sua casa, por causa da mulher de Abrão" (Gn 12.17). "Então chamou Faraó a Abrão e disse: Que é isto que me fizeste? Por que não me disseste que ela era tua mulher? “agora pois, eis aqui tua mulher, toma-a e vai-te" (Gn 12.18.19).
O PECADO SEMPRE TRAZ PREJUÍZOS
Que grande humilhação que ambos sofreram quando Sara foi levada para ser concubina de Faraó! Se Deus não tivesse interferido, Abraão teria perdido a sua esposa definitivamente. Mas outros prejuízos se verificaram.
1. A perda da comunhão com Deus. Abraão e sara, pelo pecado, perderam a comunhão com Deus.
2. A perda da moral. É muito triste quando o homem de Deus cai em pecado. pois tal fato o leva à perda da capacidade de exercer a autocrítica.
3. A cauterização da consciência. Abraão teve a consciência cauterizada e deixou-se subornar, pois recebeu presentes de Faraó. 
ABRAÃO VOLTA À DIREÇÂO DE DEUS
O Deus que havia chamado a Abraão é **o pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação11 (2 Co 1.3). Pela misericordiosa intervenção de Deus, Sara e Abraão puderam sair juntos do Egito. Se Deus não tivesse estendido a sua amorosa mão, Abraão teria voltado sozinho e Sara seria uma concubina de Faraó. Neste caso Abraão jamais ter-se- ia perdoado.
Abraão conserta-se com o Senhor
Ele retomou ao ponto onde havia errado. É justamente o que a Bíblia recomenda: Lembra-te pois donde caíste, e arrepende-te (Ap 2.5).
Abraão conserta-se com o Senhor. Abraão subiu do Egito para a banda do sul, e chegou até o lugar do altar que dantes ali tinha feito.
E Abraão invocou ali o nome do Senhor (Gn 13.4). Aquele lugar se chamava Betei, que quer dizer casa de Deus.
Abraão havia voltado ao trilho da direção de Deus.
ABRAÃO E LÓ  SEPARAM-SE
Gn 13.8 E disse Abrào a Ló: Ora não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque irmãos somos
Gn 13. 9 - Não está toda terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, eu irei para a esquerda. Gn 13. 12  Habitou Abrão na terra de Canaã, e Ló habitou nas cidades da campina, e armou as suas tendas até Sodoma.E Abrão armou as suas tendas, e
veio, e habitou nos carvalhais de Manre, que estão Junto a Hebrom; e edificou ali um altar ao Senhor.
A PRESENÇA DE LÓ ERA PREJUDICIAL
Deus havia ordenado a Abraão que saísse de sua terra e de sua parentela e da casa de seu pai. para a terra que lhe seria mostrada por Deus (Gn 12.2). Quando Abraão partiu, como o Senhor lhe tinha dito, tomou também seu sobrinho Ló, contrariando a orientação que havia recebido de Deus.
Deus queria levantar uma grande nação e estava levantando o patriarca para ela. A chamada era para Abraão, e a presença de Ló viria a ser bastante prejudicial ao futuro patriarca de Israel.
Forte Segurança: Rua 6 entre Av. Amazonas e Mato Grosso

A proposta de Abraão a Ló
Abraão, sendo o mais velho e o líder desta peregrinação em Canaã, por direito poderia ter escolhido primeiro, mas deixou que Ló o fizesse.
Na sua fé em Deus, Abraão confiava que Deus ia tomar a frente dele e de sua esposa não só quanto àqueles problemas então presentes, mas também nos tempos que estavam por vir. E os que confiam no Senhor não serão confundidos (Is 49.23).
A ESCOLHA DE LÓ
A escolha de Ló só levou em conta vantagens materiais. A vida que havia levado até então na terra de Canaã tinha sido aquela de peregrinos e forasteiros. Moravam em tendas. Talvez Ló almejasse estabelecer-se de modo mais permanente. E as campinas bem regadas que havia escolhido, eram muito promissoras. Certamente uma bela escolha, dentro de uma visão puramente material.
Obediência integral
Após a partida de Ló para a região que escolhera, Abraão finalmente entrou no trilho da obediência integral à ordem que Deus lhe dera de deixar não só a sua terra, mas também a sua parentela. Fica bem claro nesta experiência que não existem detalhes insignificantes numa ordem dada por Deus. Tudo é importante, e tudo deve ser obedecido. Abraão precisou consertar uma falha na sua obediência.
O Senhor Promete a Abraão
E disse o Senhor a Abraão depois que Ló se apartou dele:
Levanta agora os teus olhos, e olha desde o lugar onde estás, para a banda do norte e do sul. e do oriente e do ocidente; porque toda esta terra que vês te hei de dar a ti e à tua semente para sempre (Gn 13.14- 15). Observem que a promessa incluía a terra que Ló passou a ocupar! E Abraão armou as suas tendas nos carvalhais de Manre, junto a Hebrom. Agradecido a Deus pelas muitas bênçãos, Abraão edificou ali um altar ao Senhor (Gn 13.18).
ABRAÃO SOCORRE LÓ E SUA FAMÍLIA
Situação política da planície de Sodoma. Durante 12 anos cinco reis da planície de Sodoma haviam sido tributário do rei Quedorlaomer. Sabendo que este rei, juntamente com outros três aliados. estava em campanha militar contra nações que habitavam nas redondezas, os cinco reis da planície resolveram aproveitar a ocasião para libertarem-se da opressão, e saíram para guerrear contra ele (Quedorlaomer) e seus aliados. No confronto militar, os reis da planície de Sodoma ficaram em desvantagem. Os reis de Sodoma e de Gomorra fugiram. Suas cidades foram despojadas e seus habitantes levados cativos, inclusive Ló e sua família.
E Abraão sentiu necessidade de levar a sua ajuda a seu parente em perigo. Como prisioneiro de guerra Ló poderia até ser vendido como escravo. Ló sofria as consequências da escolha que fizera. 
Abraão entra em açâo
Ao tomar conhecimento do que havia acontecido com Ló, Abraão não ficou indeciso quanto ao que deveria fazer. Diz a Escritura:  "Armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Da (Gn 14.14). Acompanharam-no três confederados. Escol. Manre e Aner. Usou a estratégia de dividir seus poucos homens em vários grupos e fazê-los todos, simultaneamente, atacar o acampamento inimigo à noite (Gn 14.15). Tirou portanto proveito da surpresa e da escuridão. O exército dos quatro reis foi derrotado e fugiu. Dos quatro reis alguns morreram (Hb 7.1).
Assim, Abraão lutou contra os opressores e obteve vitória e tomou a trazer toda a fazenda, e tomou a trazer também a Ló. seu irmão, e a sua fazenda, e também as mulheres, e o povo"(Gn 14.16).
MELQUISEDEQUE ABENÇOA ABRAÃO
Ao voltar vitorioso da guerra, Abraão encontrou-se com Melquisedeque, Rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo (Gn 14.18). Era um rei cananita que servia o Deus verdadeiro.
Melquisedeque significa "rei de justiça". Melquisedeque era rei de paz.  A investidura de Melquisedeque no sacerdócio do Deus Altíssimo não estava vinculada à condição de pertencer à tribo de Lê vi, pois este ainda nem existia. Melquisedeque era cananeu. Deus falou por Davi uma mensagem profética a respeito de Jesus:  Tu és sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque" (SI 110.4).
A bênção sobre Abraão.
Melquisedeque abençoou Abraão em nome do Deus Altíssimo (Gn 14.19). Dessa maneira, Melquisedeque glorificou a Deus porque Ele havia sido a causa da vitória sobre os inimigos naquela peleja (Gn 14.20).
O dizimista
 Abraão pagou o dízimo do despojo a Melquisedeque (Gn 14.20).
Isto ele fez porque Deus lhe havia revelado o valor espiritual de Melquisedeque. Foi assim que Abraão encontrou-se pela primeira vez com um homem de Deus, desde que iniciou a sua caminhada de fé, e deve ter experimentado uma profunda comunhão espiritual, e deve ter saído deste encontro enriquecido em sua vida espiritual. É assim que deve ser entre os verdadeiros servos de Deus (Rml.11.12).
O REI DE SODOMA VAI AO ENCONTRO DE ABRAÃO
O rei de Sodoma foi ao encontro de Abraão quando este com seus homens voltavam da guerra. Queria agradecer Abraão e recompensá-lo pela valiosa ajuda de recuperar não só os que foram levados cativos, mas também todo o despojo que havia sido levado.
A proposta do rei de Sodoma
Dá-me a mím as almas, e a fazenda toma para ti  (Gn 14.21).
A respondeu Abraão,  Levantei minha mão ao Senhor, o Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra, que desde um fio até à correia de um sapato não tomarei coisa alguma de tudo o que é teu. para que não digas: Eu enriqueci a Abraão; salvo tão-somente o que os mancebos comeram, e a parte que toca aos varões que comigo foram, Aner, Escol e Mame; estes tomem a sua parte*' (Gn 14.22-24).
Abraão não queria por preço algum ficar sob a influência do rei de Sodoma. 
Deus se manifesta a Abraão
Logo depois destas coisas Deus se manifestou a Abraão em uma visão dizendo: Não temas. Abraão, eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão (Gn 15.1). Deus deu a Abraão a certeza de que o guardaria de qualquer eventual ação de vingança, pois seria seu escudo. Além disso. Deus disse que Ele próprio era o galardão de Abraão.
O exemplo de Abraão
Abraão levantou a sua mão ao Senhor rejeitando tudo que pudesse colocá-lo sob a influência de Sodoma. Assim também todos aqueles que, nestes tempos que antecedem a vinda de Jesus, querem andar nas pisadas da fé de Abraão (Rm 4.12), devem rejeitar tudo aquilo que possa dominar a vida espiritual.
Materialismo em Sodoma
Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam
(Lc 17.28). Todas essas coisas eram lícitas. Todavia não sobrava lugar para as coisas de Deus. "Olhai por vós, não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonarias, de embriaguez e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele  dia. Lembrando sempre que todas as coisas são lícitas. mas nem todas convêm. Não devemos deixar que as coisas, mesmo sendo lícitas. tenham o domínio sobre nós (l Co 6.12).
Imoralidade
0 clamor de Sodoma se tem multiplicado" (Gn 18.20). Livre, ao adultério, à fornicação e o homossexualismo se alastrando em todas as faixas sociais.
A terra de Canaã
 (Gn 12.7) À tua semente darei esta terra. A terra de Canaã era habitada por vários povos. Ele deveria habitar na terra como peregrino e forasteiro (Gn 15.13). Esta promessa só se cumpriria após um período de servidão de quatrocentos anos. Os descendentes de Abraão seriam então uma grande nação. Uma grande nação capaz de não só conquistar a terra, mas também de ocupá-la. E de fato, Israel saiu do Egito na direção de Canaã com 600.000 homens, fora as mulheres e as crianças (Êx 12.37). Para Deus nada é impossível (Lc 1.37).
O concerto com Deus
Deus renovou também a promessa de dar a terra de Canaã à semente de Abraão. E Deus propôs a Abraão que este lhe oferecesse um sacrifício de concerto. Os animais do sacrifício de concerto seriam fendidos em duas partes, e cada parte disposta uma em frente à outra, deixando entre elas uma passagem (Jr 34.18). Este sacrifício estabelecia por um lado a irrcvogabilidade das promessas de Deus, e por outro, a responsabilidade de Abraão no cumprimento de sua parte.
As trevas da noite envolvem Abraão
E pondo-se o sol, um profundo sono caiu sobre Abraão, e eis que grande espanto e grande escuridão caiu sobre ele" (Gn 15.12).
Abraão persistiu até o limite de suas forças. As trevas eram um prenúncio da vitória. Deus assistiu a Abraão. E falou-lhe como se a promessa já fosse um fato consumado. É preciso persistir. Um coração quebrantado é agradável ao Senhor (SI 51.17).
O fogo divino confirma o pacto
Uma tocha de fogo passou entre aquelas metades (Gn 15.17). Foi uma confirmação de Deus à aliança. Ao manifestar-se o fogo em meio ao sacrifício de concerto, Abraão recebeu o AMÉM de Deus, e louvou-o. Ainda hoje o fogo de Deus confirma as suas promessas. Deus aguarda almas sedentas junto ao altar, e ali ele as baliza com Espírito Santo e com fogo (Mt 3.11; At 2.3.4).
A precipitação de Sara
Sara tomou a iniciativa de fazer cumprir as promessas que Deus havia feito a Abraão. e cometeu tremendo erro que lhe trouxe graves prejuízos morais e espirituais. As promessas de Deus haviam sido renovadas e confirmadas por meio de fogo. Todavia os anos de espera tornaram- se muito longos. Sara, que era estéril, certamente sentia ser ela o impedimento da resposta aguardada por Abraão. Querendo ajudar seu marido, propôs abrir mão de seu direito de ser a única mulher na vida de Abraão, e ofereceu- lhe sua escrava Agar para. através dela, gerar um filho a Abraão, pensando, assim, estar cooperando com Deus no cumprimento de Suas promessas. Solução fácil para um problema que se prolongava. E em um momento de cochilo espiritual, Abraão ouviu a voz de Sara (Gn 16.2), e aceitou a escrava Agar por mulher. Agar concebeu e deu à luz um filho que recebeu o nome de Ismael.
Atrito no lar
Agar vendo que concebera, desprezou a sua senhora (Gn 16.4). Esqueceu-se que continuava sendo escrava de Sara mesmo sendo concubina de Abraão. Sara afligiu Agar e esta fugiu da sua face (Gn 16.6). O anjo do Senhor achou-a no deserto e mandou que ela voltasse para Sara e se humilhasse sob a mão de sua dona. E ela assim o fez.
Angústias e esfriamento na fé
O nascimento de Ismael não trouxe alegria a Abraão e nem a Sara. Pelo contrário. só trouxe preocupação. Isto porque desde que entrou o "problema Agar" na família, Deus deixou de se manifestar a Abraão, e este não se sentiu inspirado a edificar- lhe altares. A incredulidade interrompe o contacto com Deus. 
DEUS MANIFESTA-SE DE NOVO A ABRAÃO
Depois de treze anos em silêncio, Deus na sua misericórdia manifestou-se de novo a Abraão. Ao longo deste tempo certamente Abraão orava a Deus. arrependido por ter tomado Agar.
Deus apareceu a Abraão e disse-lhe: "Eu sou o Deus Todo Poderoso; anda em minha presença e sê perfeito; e porei o meu concerto entre mim e ti. e te multiplicarei grandissimamente" (Gn 17. l ,2).
Abraão caiu sobre o seu rosto, e Deus falou com ele de modo muito claro e definido. Abraão iria frutificar grandissimamente, seria pai de uma multidão de nações, e dele sairiam reis. Mudou o nome dele de Abrão (pai da altura) para Abraão (pai de uma multidão) (Gn 17.4-6). Deus também mudou o nome de Sarai para Sara (princesa) (Gn17.15), e ela seria mãe de nações (Gn 17.16). Sara daria à luz um filho, e este receberia o nome de Isaque (Gn 17.19).
O NASCIMENTO DE ISAQUE
1. Anjos anunciaram o nascimento de Isaque. Os anjos, a caminho de Sodoma. foram visitar Abraão para informar-lhe que "por este tempo da vida Sara terá um filho" (Gn 18.10). Sara riu-se ao ouvir isto. Disse o Senhor a Abraão: “Por que se riu Sara?” (Gn 18.13). E Sara negou dizendo: “Nãome ri", porquanto temia (Gn 18.15).
Gn 17.19  E disse Deus: Na verdade, Sara tua mulher te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque, e com  ele estabelecerei o meu concerto, por concerto perpétuo para a sua semente depois dele.
O nascimento de Isaque representa um exemplo maravilhoso do cumpri mento das promessas de Deus "Far-te- ei uma grande nação". Esta promessa parecia ser de difícil cumprimento, uma vez que Sara, além de estéril, era de idade avançada.
Deus cumpre a Sua promessa a Sara
Ao cumprir-se o tempo determinado Deus visitou Sara e ela deu à luz um filho. Ele recebeu o nome de Isaque e foi circuncidado ao oitavo dia (Gn 21.1-4).
Foi grande a alegria no lar de Abraão. Havia-se confirmado o fato de que Deus ouve as orações e cumpre as suas promessas.  O nascimento de Isaque representa um exemplo maravilhoso do cumpri mento das promessas de Deus "Far-te- ei uma grande nação". Esta promessa parecia ser de difícil cumprimento, uma vez que Sara, além de estéril, era de idade avançada de noventa anos.
A simbologia de Isaque e Ismael
Estes dois filhos representam uma figura espiritual. Ismael simboliza os nascidos da carne (Jo 3.6). enquanto Isaque simboliza os que nasceram de novo. os que nasceram da promessa (Jo l. 12,13).
Assim como Deus aconselhou Abraão a livrar-se de Ismael. Ele quer que nos despojemos da carne com suas obras (Gl 5.24).
A DESTRUIÇÃO DE SODOMA
Aqueles que não se contaminarem com este mundo serão poupados da ira futura.
Gn 18.20 Disse mais o Senhor: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito, Gn 18.21 - Descerei agora, e verei se com efeito têm praticado segundo este clamor, que é vindo até mim; e se não, sabê-lo-ei.
Gn 18.29 - E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina. Deus se lembrou de Abraão, e tirou a Ló do meio da destruição, derribando aquelas cidades em que Ló habitara.
O JUÍZO DE DEUS SOBRE O PECADO
O Juízo executado naqueles dias. O castigo de Sodoma e Gomorra foi determinado por Deus de forma irrevogável. Deus informou a seu amigo Abraão sobre isto (Gn 18.17.22),e anjos foram enviados para executarem a sentença de Deus (Gn 19.1). Os anjos foram designados para retirar da cidade aqueles que seriam salvos da destruição determinada por Deus em sua justa ira contra tais pecados (Gn 19.15).
ABRAÃO E A GRANDE PROVA
Gn 22. l - E aconteceu depois destas coisas, que tentou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis- me aqui. Gn 22. 2 - E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.
Gn 22.10  E estendeu Abraão a sua mão, e tomou o cutelo para imolar o seu filho; Gn 22.11-12 Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus e não me negaste o teu filho, o teu único.
O amor e a Obediência

Deus queria provar se havia alguma coisa que Abraão amava mais do que a Deus, se Abraão de fato amava a Deus acima de qualquer coisa deste mundo.
Deus queria provar se Abraão estava disposto a obedecer em qualquer circunstância, mesmo quando tudo parecesse incerto. É oportuno lembrar que no inicio de sua caminhada, a obediência de Abraão era incompleta.
Deus queria provar a Abraão em sua fé, pedindo-lhe em sacrifício Isaque,  que era o próprio cumprimento da promessa.
A obediência à ordem de Deus parecia que iria inviabilizar a concretização da promessa de fazer de Abraão um grande povo.
Deus alcançou o seu objetivo
Ao submeter Abraão a essa tremenda prova Deus alcançou plenamente o seu objetivo pois constatou que:
• Abraão amava a Deus acima de tudo neste mundo?
• Abraão estava disposto a obedecer à risca qualquer ordem de Deus.
• Abraão possuía uma grande fé, pois cria que se Isaque tivesse de fato sido morto. Deus o ressuscitaria.
ABRAÃO BUSCA UMA NOIVA PARA ISAQUE
A promessa de Deus de Abraão ser uma grande nação começou a cumprir-se ao nascer Isaque. Todavia era preciso que este se casasse e tivesse filhos. Abraão não queria para seu filho uma esposa pagã, uma esposa das filhas de Canaã. Por isso designou seu fiel servo Eliezer para ir à sua terra, à sua parentela, à cidade de Naor na Mesopotâmia para lá tomar mulher para seu filho Isaque (Gn 24.3,4.10),  pois Abraão Havia sido informado acerca de como crescera a família de seu irmão Naor.
A VIAGEM DE REBECA AO ENCONTRO DE ISAQUE
Rebeca não precisava preocupar-se com o que haveria de levar na viagem ao encontro de Isaque. Eliezer responsabilizou-se por tudo. Ele tinha camelos. Ele tinha alimentos para a viagem. Para beneficiar-se desta ajuda. Rebeca precisava tão-somente deixar que Eliezer a guiasse
ISAQUE RECEBE REBECASUA NOIVA
Isaque havia saído ao campo para orar. Viu que a caravana se aproximava. Rebeca viu Isaque de longe, e por não o conhecer, perguntou a Eliezer quem era o varão que vinha ao encontro deles. Ouvindo que era Isaque, desceu do camelo e se cobriu com um véu. Isaque a recebeu por esposa e amou-a toda a sua vida (Gn 24.63-67).
A MORTE DE SARA
(Gn 23.1,2) E foi a vida de Sara cento e vinte sete anos; estes foram os anos da vida de Sara. E morreu Sara cm Quiriate-Arba, que é Hebrom, na terra de Canaã.
Sara termina a Jornada. Foi a mais pesada provação que Abraão experimentou desde que deixara Harã rumo a Canaã em companhia de sua esposa Sara. Durante mais de sessenta anos haviam peregrinado juntos. Juntos haviam orado a Deus e aguardado o cumprimento das promessas, e juntos haviam-se alegrado pelo nascimento de Isaque.
A dor de Abraão
Agora Sara estava morta e seu lugar vazio, grande era a dor do velho patriarca. Parece que Abraão não estava em Hebrom na hora da morte de Sara.
Mas logo ele chegou para lamentar a Sara e chorar por ela (Gn 23.2).
O pranto de Abraão
O homem de fé chorou! A separação de sua querida esposa provocou-lhe sentidas lágrimas. É a única vez que a Bíblia menciona que ele chorou. Foram lágrimas de um coração entristecido. As lágrimas fazem parte da vida neste mundo, somente no céu não haverá lágrimas. pois lá não haverá morte (Ap 7.17; 21.4). As lágrimas extravasam as emoções e trazem alívio.
A sepultura de Sara
 Abraão comprou uma sepultura para Sara na terra da promessa. Abraão tinha firme sua fé em Deus de que aquela terra seria dada aos seus descendentes, embora isso fosse acontecer depois de um longo tempo. Por isso ele comprou um local para sepultura na terra onde seus descendentes em tempos futuros haveriam de morar. Abraão comprou um campo com a cova de Macpela, e nela sepultou Sara (Gn 23.16-19). Nesse mesmo sepulcro, mais tarde, foram sepultados Abraão. Isaque, Rebeca e Jaco.
ABRAÃO CASA-SE COM CETURA
Na solidão que sentiu depois da morte de sua querida Sara, Abraão certamente falava com Deus. seu amigo. e sentiu-se orientado a casar-se com Cetura. Dessa união nasceram seis filhos. Abraão cuidou que todos recebessem presentes, e despediu-os para a terra oriental. Porém. a Isaque. o continuador do patriarcado, Abraão deu tudo o que tinha.

PEREGRINO NA TERRA DE CANAÃ
Deus o havia chamado pra ser estrangeiro e peregrino na terra de Canaã. e assim sucedeu. Abraão enriqueceu, e poderia muito bem ter construído uma cidade para si e para seus servos nascidos em sua casa. Mas ele preferiu viver uma vida nômade, sem  habitação fixa morando em tendas e deslocando-se conforme sentia a direção de Deus.
A conduta de Abraão gerava uma verdadeira irradiação espiritual a qual lhe dava uma posição de liderança sobre os homens entre os quais peregrinava.
Ele viveu 175 anos, o filho que ele queria tanto nasceu quando ele tinha 100 anos, a mulher dele morreu e, ainda assim, ele viveu mais 75 anos, teve outras famílias e, hoje, 2 em cada 3 pessoas, no mínimo, são descendentes de Abraão e nem sabem.
Ele é venerado pelos Árabes, venerado pelos Judeus e admirado e respeitado pela igreja. Hoje seu nome pode ser tão conhecido quanto o nome de Jesus, pois é promessa de Deus engrandecer seu nome entre as Nações. Será um prejuízo para qualquer crente, não olhar para Abraão, que sempre lembrado como o pai da fé.

Fonte: Bíblia Digital, estudosbiblicos.com e wikpedia 

Sem comentários:

Publicar um comentário